quarta-feira, 4 de abril de 2012

Leituras 2012 # 21


Estava a contar com um romance banal, sem grande expectativa. Mas fiquei surpreendida. Ainda que não seja uma obra-prima, a autora conseguiu agradar-me de diversas formas: não posso esconder que me agradaram as referências a Portugal, sempre relacionadas com uma parte fulcral da história; depois, há personagens que não declaradamente óbvias e que nos permitem ter algumas incertezas quanto às suas boas intenções; por último, a autora conseguiu ainda introduzir um pouco de suspense, o que é sempre benvindo.

Neville, Conde de Kilbourne, encontra-se em missão em Portugal quando o seu sargento morre e uma promessa inesperada é feita. Para lhe proteger a filha, Neville promete casar com ela e zelar pela sua segurança. Mas numa emboscada, Lily é morta e ele, que julga a sua esposa morta, regressa a Inglaterra para assumir o seu dever, após a morte do pai.
Dois anos volvidos, na igreja que unirá o destino de Neville e Lauren, Lily reaparece e o mundo pára. Apesar de ter uma noiva que preencherá todos os requisitos da sogra e de toda a sociedade inglesa, o coração de Neville sempre pertenceu a Lily.
As diferenças não poderiam ser maiores e estão expostas aos olhos de todos. Apesar dos esforços de todos, quando se confirma que o casamento que ocorreu não tem validade, Lily não hesita em deixar o seu amado.

Nessa fase, entramos num novo ponto da história: a tia de Neville, Elizabeth, leva Lily para Londres como sua acompanhante e vai ensinar-lhe tudo o que precisa de saber para ser uma dama. A nossa heroína vai percorrer um bonito caminho, de crescimento, autoconhecimento e reencontro consigo mesma. Porque nesta fase, ela já não sabe quem é ou quem quer ser. E a resposta será uma que ela nunca poderia imaginar. Achei esta parte da história muito interessante.

O leitor é compensado com várias e agradáveis surpresas que tornam este romance bastante apetecível. Apesar de algumas personagens não terem grande significado na história, o enredo é cativante e o leitor é obrigado a manter a leitura constante. Afinal, Lily vai querer descobrir o que continha a mochila do pai, que ela julgava perdida e foi agora descoberta por Neville; vai perceber que existe um medalhão igual ao seu, que usa desde sempre, e que pertence a alguém que ela nunca concebeu; vai conhecer família que julgava não ter.
A autora encheu a nossa heroína de magia, que sonha com o amor da sua vida, mas também sonha em se encontrar, em ser alguém, em ter objectivos e em traçar um caminho para percorrer.
A autora conseguiu encantar-me com toda a história, repleta de belas descrições e com um final mágico e inesquecível.









3 comentários:

  1. Adorei este blog, eu que ando sempre á procura de inspiração para leituras :)

    ResponderEliminar